Aqui e em todo lugar, escrevo e corro com paixão

Sou jornalista e RP especializada em esportes (corrida/ triathlon), com passagens recentes pelas assessorias de imprensa da Mizuno e da ASICS. Formada há mais de 30 anos, trabalhei nas redações das principais revistas femininas e sites de variedades, de saúde e qualidade de vida. Corredora há 15 anos – e maratonista com orgulho, tendo inclusive a Maratona de Boston entre as 10 maratonas que já completei. Vem saber a história completa!


Sou formada em comunicação pela FAAP e desde sempre escrevi para revistas – colaborei com as principais publicações femininas e de variedades do país. Há cerca de 15 anos resolvi focar em saúde e bem-estar. E numa dessas, em 2005, me apaixonei pela corrida.


Estava uns 10 quilos acima do meu peso ideal. Mas não foi isso que me fez ir para a corrida. Foi em uma viagem para cobrir um evento de esportes de aventura para deficientes auditivos, para uma revista de saúde que eu trabalhava, que tudo teve início. Um dos organizadores, que é corredor e virou meu amigo, falava com tanto entusiasmo do esporte, que eu achei que poderia ser legal. Optei pela corrida, inicialmente, pelo brilho nos olhos que vi nesse amigo. Juro que nem pensava em emagrecer ou melhorar a qualidade de vida quando comecei.


Esse amigo sugeriu que eu fizesse um check-up para saber das minhas condições de saúde e procurasse o treinador Marcos Paulo Reis, que tem uma assessoria esportiva em São Paulo, a MPR. E assim fiz. Entre a decisão de correr, a consulta ao médico, os resultados dos exames e a minha avaliação com o professor, lá se foram dois meses. Tempo suficiente para eu desistir. Mas fui em frente. Nessa época se alguém dissesse que um dia eu iria correr uma maratona, acharia uma loucura.

Só sei que nesses 15 anos de corrida foram dezenas de provas de 10K, mais de 25 meias maratonas, 10 maratonas (Porto Alegre, Nova York, Curitiba, Buenos Aires, Rio de Janeiro, Uphill Marathon na Serra do Rio do Rastro, Berlin, Porto Alegre, Uphill, Boston), três SP>Rio, duas Volta à Ilha e diversas corridas de montanha.

ANTES E DEPOIS DA CORRIDA

A corrida foi um divisor de águas na minha vida. Passei por uma série de mudanças, além do lado físico. Em 2006, nove meses depois que comecei a correr, me separei. Não foi a corrida que me fez separar. Mas o esporte ajudou a resgatar uma Yara que estava adormecida, que gosta de um desafio, que quer melhorar sempre. Fora que com a perda de peso a gente fica mais bonita, a autoestima melhora e a energia aumenta.

E aconteceu a mesma coisa profissionalmente, em 2007. Desde que eu havia me formado, tinha um trabalho fixo – ia para uma redação, seguia uma rotina com horários e tudo mais. Mas chegou uma hora que não tinha mais o que evoluir. Estava sem desafios. Então, virei freela. O frio na barriga de ter que arrumar trabalhos a cada mês me encheu de gás. Como na corrida, era sempre um desafio a superar. De lá para cá alternei períodos como freelancer com passagens por redações – como em 2011 no canal de saúde e bem-estar do Portal iG e em 2014 como editora de fitness da revista Boa Forma, o que só ampliou minhas experiências e minhas vivências no universo saudável. Em 2016 comecei a atuar também no marketing esportivo, trabalhando com grandes marcas. Fui assessora de imprensa da Mizuno por quase dois anos e prestei serviços a ASICS.

Claro que em palavras tudo parece fácil: “começou a correr, emagreceu, experimentou novas formas de trabalho…” Mas a vida da gente não é conto de fadas – e eu nunca contei com o príncipe encantado. Tenho dois filhos – na época que me separei, em 2006, o pequeno tinha 4 anos e a menina era adolescente – e sempre batalhei muito pelo sustento deles. Uma vida de freelancer, apesar da liberdade e das mil e uma vantagens, também tem pontos críticos e muitos altos e baixos. Então, conciliar esporte, vida de mãe, lado profissional e tantas outras coisas nunca foi fácil para mim. Mas sigo em frente. Isso é real e possível!

UM BLOG EM 2007

O blog “eu corro porque…” nasceu em 15 de janeiro de 2007. Foi na época em que tive uma fratura por estresse e precisei parar de correr por três meses. Não podendo correr, resolvi escrever sobre minhas experiências na corrida. E depois de ficar um pouco aqui, outro pouco ali, agora estou reorganizando os posts nesse novo espaço.

E AGORA?!?

Amo o que faço e a área em que atuo. Só que tenho zero de rotina. Cada dia tem um ritmo diferente, exigências diferentes. Produzo conteúdo para alguns veículos (como as revistas Marie Claire e Boa Forma e o portal UOL); desenvolvo projetos especiais voltados ao esporte, como o MySPORT_Book; presto consultoria e desenvolvo trabalhos de assessoria de imprensa e RP para marcas de esporte e influenciadores. E ainda sou mãe da Fernanda, de 31 anos, do Antônio, de 19, e da vira-lata Luna, de 15 anos, além de ser filha da dona Suad.

É uma vida legal, mas continua não sendo fácil. E para encaixar a corrida, a bicicleta, a musculação, o pilates no meio disso tudo, tenho que me esforçar. 

Por mais “lugar comum” que seja dizer isso, o esporte sempre me faz ir um pouco além em tudo. É minha motivação, minha terapia, minha vida.

Aqui e em todo lugar, escrevo e corro com paixão.

YARA ACHÔA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *